Ligna traz mais de 93 mil visitantes em seus cinco dias de feira; destacando a ascensão da Indústria 4.0 no campo fabril

A Ligna, uma das maiores feiras mundiais de máquinas para processamento de madeira, máquinas e ferramentas; voltou a apresentar grandes inovações e atrativos globais, com um aumento significativo no número de expositores e visitantes do exterior e um novo impulso para a Indústria 4.0, que vem redefinindo o mercado.

Depois de cinco dias, organizadores, expositores e visitantes puderam vislumbrar um evento que impressionou os presentes. “A Ligna deste ano será um marco na digitalização da indústria da madeira”, disse o Dr. Andreas Gruchow,  responsável pela feira, em conversa com a imprensa após o fim da feira.

Raio-x da feira

Ao todo foram mais de 1.500 expositores; incluindo 900 estrangeiros; que mostraram suas instalações, máquinas, ferramentas e soluções inovadoras em cerca de 129 mil m² (metros quadrados) de espaço. O local foi visitado por cerca de 93 mil visitantes, incluindo 42 mil participantes de fora da Alemanha, que vieram a Hannover de mais de 100 países diferentes.

E, como esperado, a Indústria 4.0 e todos os aspectos da fabricação em rede dominaram o show. Foram introduzidos novos softwares que podem integrar a gama completa de componentes da planta fabril.

Outra tendência consistiu em formas de aumentar significativamente a eficiência da produção, com exigências mínimas para o operador de equipamento.

Muitos expositores apresentaram exibições mostrando que as máquinas de trabalhar madeira podem ser polivalentes, tendo utilização com plásticos, painéis compostos e materiais de isolamento e construção.

Novidades na LIGNA

Pela primeira vez na feira, uma área de demonstração ao ar livre foi instalada ao pé da torre de Hermes, em parceria com o Conselho Florestal Alemão. Várias apresentações de tecnologia foram realizadas cada dia em uma área que mede aproximadamente 1.500 m². Foram realizados processos como poda, extração de madeira com colheitadeiras, remoção na estrada da floresta com reboques e transporte para as serrarias.

Entre as empresas com atuação nacional que participaram do evento, estiveram Andritz, Bottene, B. Krick, Fezer, Homag, Linck, Pilana, Salvador, Sauerland, Siempelkamp, Tigra e Weinig.

Leia mais assinando a revista Referência Industrial aqui.

Post anterior

Em prol da cadeia produtiva

Próximo post

EPIs nas UPMs: mais segurança para o trabalhador

Diego

Diego

Sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *