Não é de hoje que sabemos do potencial sustentável da madeira. A matéria-prima é mundialmente conhecida na construção civil por sua capacidade de armazenamento de dióxido de carbono e, quando tratada, de atingir níveis de resistência tão altos quanto o concreto, que faz alto uso de água e libera agentes poluentes durante sua confecção. Por conta disso, edifícios de madeira têm se tornado uma tendência nas principais cidades do mundo, que só devem continuar a investir nessa área. É o caso de arquitetos de Amsterdã, na Holanda, que resolveram construir o Haut, destinado a se tornar o maior edifício residencial do mundo, com 73 m (metros) de altura e 21 andares.
Localizado no bairro de Amstelkwartier, tradicionalmente residencial e com algumas pequenas áreas comerciais, o Haut surgiu de uma iniciativa do próprio município, que abriu licitação para empresas de arquitetura que se interessassem em desenvolver um projeto sustentável na região. A equipe vencedora do certame foi a Team V Architecture, que definiu o início da construção do prédio para meados de 2017.

Gostou da matéria? Continue lendo assinando a revista Referência Industrial aqui.

Post anterior

Móveis esportivos

Próximo post

GRUPO JOTA premia os destaques do ano

admin

admin

1 Comentário

  1. Hoje, os arranha-ceus sao algo cada vez mais comum onde a terra e cara, como nos centros das grandes cidades, porque eles fornecem uma alta proporcao de espaco locavel por area de terra.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *